Home Artigos Então nós seremos escrachados?

Então nós seremos escrachados?

101
Leonece Barros

Confessando-nos rotineira e diariamente a Deus e pedindo perdão pelos nossos pecados, chegaremos ao tribunal de Cristo com uma carga de culpas bem menor e mais suave, e seremos atenuados

Quando lendo a carta que o apóstolo Paulo enviou aos Romanos, exatamente no versículo 16 do capítulo dois, se você não sentiu um frio na espinha, ou se não houve quaisquer reações de preocupação, quero parabenizar crendo que estás num procedimento rigoroso de aperfeiçoamento espiritual e busca de santificação; caso contrário, lamentar, por acreditar que há um processo perigoso de cauterização do vosso coração e mente, no qual a prática de iniquidades e pecados não o deixa combalido e carente de Jesus Cristo.

Paulo diz para os Romanos o seguinte: “Não há dúvida alguma de que chegará o dia quando, por ordem divina, Jesus Cristo julgará a vida íntima de todos, seus pensamentos e seus motivos mais secretos; tudo isto é parte do grande plano de Deus que eu anuncio.”

Quando foi anunciado que o WhatsApp deixaria de ser o aplicativo sigiloso, no qual suas mensagens enviadas e recebidas poderiam ser devassadas ou dadas a conhecer, houve uma incrível debandada para outros aplicativos mais seguros. Por que será? Creiam que não foi apenas por causa de nossa privacidade primária, natural, comum. Está acontecendo assim, principalmente porque no dia a dia de nossa existência, estão estampados “os nossos pensamentos e motivos mais secretos” que em nossa vida íntima nem sempre são os mais nobres, benfazejos, puros e dignos.

Não posso negar que houve um arrepio quando constatada essa verdade: nós seremos escrachados! Nossas mazelas, maus pensamentos e desejos mais secretos serão expostos naquele grande dia. Que vergonha haverá de ser, e quão grande constrangimento perante ao Senhor. Creio assim, porque tenho consciência que não somos puros, inteiramente íntegros, totalmente santos. Deus tenha misericórdia de nós!

Então seremos todos escrachados?! É certo que não haverá acepções de pessoas. Todos estaremos diante do trono do Senhor e Jesus Cristo nos julgará. Felizmente há uma poderosa atenuante a nosso favor naquele julgamento. Em nosso importante processo de santificação, não há possibilidade de abrirmos mão de sempre diante do Senhor, em oração, confessarmos nossos pecados e mazelas e pedir perdão àquele que veio para nos salvar e perdoar, mas que um dia nos julgará.

Em 1 João 8-9, encontramos nossa atenuante para que naquele dia não sejamos submetidos a enormes constrangimentos perante o trono de Jesus Cristo: “Se dissermos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos peados e nos limpara de toda maldade.”

Confessando-nos rotineira e diariamente a Deus e pedindo perdão pelos nossos pecados, chegaremos ao tribunal de Cristo com uma carga de culpas bem menor e mais suave, e seremos atenuados. Creiam nisso! FIQUEM SEGUROS!

Leonece Barros é Teólogo Batista, Jornalista/Radialista, Bacharel em Direito, Especialista em Segurança Pública; Funcionário Público Estadual aposentado PC/ES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here