Home Artigos “Mais bem-aventurado é dar que receber”

“Mais bem-aventurado é dar que receber”

118
Leonece Barros

Está provado cientificamente que doar coisas a alguém sem nenhum interesse de ser recompensado, causa no doador descarga elevadíssima de satisfação

Parece lógico que nosso volume de prazer seja muito mais elevado quando ganhamos alguma coisa que nos satisfaça, do que doarmos para alguém algo que nos custou algum dinheiro ou suposto sacrifício, mas que supra a necessidade ou simplesmente agrade ao agraciado, e que o façamos sem nenhum interesse em sermos recompensados.

Resulta incredulidade pensar que a sugestão de Paulo em Atos 20:35 quando diz: “Em tudo tendo mostrado a vocês que é trabalhando assim que podemos ajudar os necessitados. Lembrem-se das palavras do Senhor Jesus: “É mais feliz quem dá do que quem recebe”. Uma postagem no WhatzApp falando sobre doar sem interesse, e fiquei estimulado a escrever esse artigo.

Ainda um garoto entre 10 e 12 anos, eu já conseguia dinheiro com fruto do meu trabalho de venda de laranjas, engraxando sapatos ou ajudando nas selaria do Baiano ou sapataria do Tatão. Ainda criança conseguia presentear meu pai e minha mãe no dia dos pais. Ficava muito feliz com aquilo.

Contudo, confesso, minha felicidade nunca pareceu se comparar a que sentia quando, bem mais novo, acordava nas manhãs dos dias 25 de dezembro, e ao lado da minha cama estava o presente de Natal que o “Papai Noel” havia deixado, depois de ter entrado sorrateiro por uma das janelas, que propositalmente mamãe ou papai deixava aberta, já que a chaminé de nossa casa era fina e enfumaçada demais para ele passar com aquela barrigona e ainda com o saco de presentes.

Certamente eu não prestava atenção nos efeitos hormonais, mas sei que era só alegria!
Muito se fala nos hormônios da felicidade, a saber: Serotonina, Endorfina, Dopamina e a Ocitocina. Eles são neurotransmissores que atuam como mensageiros químicos que estimulam e equilibram os sinais entre os neurônios e geram sensações de alegria, recompensa e bem-estar.

Está provado cientificamente que doar coisas a alguém sem nenhum interesse de ser recompensado, causa no doador descarga elevadíssima de satisfação; muito superior a quem é presenteado. Quem toma conhecimento desta ação também é atingido por descarga de ocitocina.

A Palavra de Deus confirma os efeitos benéficos na vida de quem é benevolente e se envolve na beneficência. Deus ama e abençoa àqueles que jejuam e fazem bondade, porque “Ele ama ao que dá com alegria”(2Cor.9.7). No capítulo 58, o profeta Isaías, retransmitindo a orientação de Deus ao povo sobre como jejuar, diz assim, a partir do versículo 6: “Não.

O jejum que eu quero ver é o seguinte: parem de explorar seus empregados, não maltratem os seus servos, perdoem as dívidas dos que não podem pagar, e não obriguem outros a trabalhar como escravos. 7. Além disso, quero que vocês repartam sua comida com os famintos, ofereçam abrigo a quem não tem casa, dêem roupas aos que estão nus e não se escondam de quem precisa de ajuda. 8. Se vocês fizerem isso, Deus lhes dará uma luz mais brilhante que o sol.

Ele vai curar todos vocês num instante! A sua piedade vai servir como proteção para os seus passos, e atrás de vocês a glória do Senhor os protegerá. 9. Então, quando vocês gritarem, o Senhor responderá; quando vocês pedirem ajuda, Ele dirá: “Eu estou ao seu lado”. Isso acontecerá se vocês deixarem de escravizar seus servos, se pararem da fazer ameaças e de espalharem mentiras. 10.

Dêem comida aos famintos! Ajudem e consolem os desesperados! Então sua luz aparecerá, brilhante, nas trevas; a escuridão se tornará como o meio-dia. 11. O Senhor guiará vocês para sempre. Mesmo em situações difíceis, Ele dará força e alegria; vocês serão como um jardim bem regado, como uma fonte de onde a água não para de correr”.

Em estando entre nós, por certo Isaías ainda seria bem cientifico profetizando o seguinte: “Ouçam! Além de todas as bênçãos já ditas, vocês sentirão com intensidade os efeitos da Ocitocina e todos os extraordinários hormônios neurotransmissores da felicidade e do bem-estar”. Que Deus nos abençoe!

Leonece Barros é Teólogo Batista, Jornalista/Radialista, Bacharel em Direito, Especialista em Segurança Pública; Funcionário Público Estadual aposentado PC/ES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here